Portal Novos Rumos -




Delatado, afastado e investigado, Aécio vê sua intenção de voto ir a 1%


Aécio Neves foi de quase presidente da República a um cadáver político; a pesquisa CUT/Vox Populi divulgada nesta terça-feira, 6, mostra que não sobrou absolutamente nada dos mais de 51 milhões de eleitores que escolheram o senador tucano nas eleições de 2014: na modalidade espontânea, Aécio não registra 1% de intenções de voto; na estimulada, na qual uma lista de candidatos é apresentada aos entrevistados, Aécio tem apenas 1% da preferência do eleitor em um eventual embate de primeiro turno com Lula (46%), Bolsonaro (13%), Marina Silva (9%) e Ciro Gomes (5%); o articulador maior do golpe parlamentar que incendiou o País, arruinou a economia e destruiu milhões de empregos colhe o que plantou.

Aécio Neves foi de quase presidente da República a um cadáver político. É o que mostra a pesquisa CUT/Vox Populi divulgada nesta terça-feira, 6.

O levantamento atesta que não sobrou absolutamente nada dos mais de 51 milhões de eleitores que escolheram o senador tucano nas eleições de 2014. Na modalidade espontânea, Aécio não registra 1% de intenções de voto. Na estimulada, na qual uma lista de candidatos é apresentada aos entrevistados, Aécio tem apenas 1% da preferência do eleitor em um eventual embate de primeiro turno com Lula (46%), Bolsonaro (13%), Marina Silva (9%) e Ciro Gomes (5%).

Em 18 de maio, Aécio foi alvo da Operação Patmos, deflagrada após a delação premiada de Joesley Batista, dono da JBS. O articulador maior do golpe parlamentar que incendiou o País, arruinou a economia e destruiu milhões de empregos colhe o que plantou.

Fonte: Brasil 247




Acompanhe Portal Novos Rumos no Twitter

e no Facebook.






Comentários:



Todos os comentários são moderados, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Não serão aceitas mensagens com links externos ao site, em letras maiúsculas, que ultrapassem 1 mil caracteres, com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Não há, contudo, moderação ideológica. A ideia é promover o debate mais livre possível, dentro de um patamar mínimo de bom senso e civilidade. Obrigado.

Código da Notícia: PNR0606171