Portal Novos Rumos -




Renan sugere que Temer, e não Geddel, é o chefe da quadrilha


Senador contesta a tese da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de que o ex-ministro Geddel Vieira Lima seria "líder de uma organização criminosa"; "Engraçado... Nunca soube que Geddel era o Chefe. Para mim, o chefe dele era outro", postou Renan Calheiros em sua conta Twitter; em outra mensagem, ele escreveu apenas "...era ouTro", com "T" maiúsculo, numa clara referência a Michel Temer

O ex-presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) fez uma provocação a Michel Temer nesta sexta-feira 20.

Ele contestou a tese da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de que o ex-ministro Geddel Vieira Lima, ex-braço-direito de Temer, seria "líder de uma organização criminosa".

"Engraçado... Nunca soube que Geddel era o Chefe. Para mim, o chefe dele era outro", postou Renan no Twitter. Em outra mensagem, ele escreveu apenas "...era ouTro", com "T" maiúsculo, numa clara referência a Michel Temer.

A referência foi feita por Raquel Dodge em um parecer enviado ao Supremo Tribunal Federal, em que defende a prisão preventiva do ex-ministro. Para ela, a prisão é "imprescindível" para a continuidade das investigações.

Preso em julho por tentativa de obstrução de justiça, Geddel obteve a prisão domiciliar dias depois. Em 8 de setembro, o ex-ministro foi novamente preso preventivamente após a Polícia Federal encontrar o equivalente a R$ 51 milhões em um apartamento em Salvador (BA), na operação Tesouro Perdido.

Em coluna na Folha nesta sexta, o jornalista Bernardo Mello Franco escreveu que, "ao chamar Geddel de líder de organização criminosa, Raquel Dodge parece fazer um favor ao chefe dele, que a nomeou".

Fonte: Brasil 247


Acompanhe Portal Novos Rumos no Twitter

e no Facebook.






Comentários:



Todos os comentários são moderados, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Não serão aceitas mensagens com links externos ao site, em letras maiúsculas, que ultrapassem 1 mil caracteres, com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Não há, contudo, moderação ideológica. A ideia é promover o debate mais livre possível, dentro de um patamar mínimo de bom senso e civilidade. Obrigado.

Código da Notícia: PNR2010172