Portal Novos Rumos




OAB, que apoiou golpe contra Dilma, critica ameaça de intervenção militar


Presidente nacional da OAB, Carlos Lamachia, criticou, em nota, a declaração do comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, que afirmou que a corporação "julga compartilhar o anseio de todos os cidadãos de bem de repúdio à impunidade e de respeito à Constituição, à paz social e à democracia" e que foi entendida como uma ameaça ao STF; para Lamachia, "não existe solução para o país fora da Constituição e da democracia"; "Não podemos repetir os erros do passado!", completou; OAB, que apoiou o golpe parlamentar de 2016, tenta assumir papel de defensora da democracia me meio à crise política atual



O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Carlos Lamachia, criticou, em nota, a declaração do comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, que afirmou que a corporação "julga compartilhar o anseio de todos os cidadãos de bem de repúdio à impunidade e de respeito à Constituição, à paz social e à democracia. Declaração do general foi entendida como uma ameaça ao Supremo Tribunal Federal (STF) que julga nesta quarta-feira (4) o habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Na nota, Lamachia diz que "não existe solução para o país fora da Constituição e da democracia" e que "o país vive hoje seu mais longo período democrático, iniciado com o fim da ditadura militar. Nossa jovem democracia já criou instituições sólidas e capazes de lidar com erros e acertos. É preciso aprimorá-las, como tem sido feito a partir do uso de ferramentas e mecanismos constitucionais. Não existe solução para o Brasil à margem da Constituição".

"A OAB, no seu papel de tribuna da cidadania e defensora intransigente do Estado democrático de Direito, conclama a nação a repudiar qualquer tentativa de retrocesso e reitera sua determinação em continuar apoiando a luta pela erradicação da corrupção em nosso país, na estrita observação do que determina a Constituição. Para os males da democracia, mais democracia. Não podemos repetir os erros do passado!", completou.

Fonte: Brasil 247


Acompanhe Portal Novos Rumos no Twitter

e no Facebook.






Comentários:



Todos os comentários são moderados, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Não serão aceitas mensagens com links externos ao site, em letras maiúsculas, que ultrapassem 1 mil caracteres, com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Não há, contudo, moderação ideológica. A ideia é promover o debate mais livre possível, dentro de um patamar mínimo de bom senso e civilidade. Obrigado.

Código da Notícia: PNR0404181