Alimentos ou medicamentos? - Dra. Sandra Marenco

+ ARTIGOS

CONTATO


















Alimentos ou medicamentos?


Não são raros os casos de pessoas consumindo inúmeros tipos de medicamentos diariamente com o propósito de minimizar efeitos indesejados de patologias ou de acometimentos sazonais. Quando os medicamentos são prescritos por profissionais e acompanhados pelos mesmos (seja nas reduções ou aumentos de doses), ainda não há motivos para preocupações. Mas muitas vezes o paciente resolve alterar doses por conta própria ou até abolir o uso por entender que está bem (caso de medicamentos para doenças crônicas, como diabetes e hipertensão arterial, entre outras). O oposto também ocorre, ou seja, por indicação de familiares ou amigos, passa a consumir medicamentos para suas doenças sem uma opinião balizada.

Revista Novos Rumos Ciência & Saúde nº 206



O consumo inadequado de medicamentos pode alterar sobremaneira as condições de saúde dos pacientes. Os medicamentos sofrem depuração no fígado e ao longo do tempo podem ocasionar sérios efeitos colaterais ao organismo. Muitas vezes percebe-se na prática clínica a pressa do paciente em ficar bem, recorrendo a medicamentos para diversos males, ao invés de iniciar um processo de reeducação alimentar. E ao iniciar o uso de medicamentos acaba não controlando tão eficazmente o que consome, pois sabe que o medicamento estará atuando, o que é um grave erro.

Os alimentos podem exercer uma grande influência na saúde das pessoas, tanto de forma positiva quanto negativa, dependendo das escolhas que fazemos. À medida que melhoramos o padrão alimentar podemos observar uma redução na necessidade de medicamentos em varias patologias tais como hipertensão arterial, diabetes, alterações de colesterol e de triglicerídeos, entre outras. Evidente que existem doenças em que o uso contínuo de fármacos é imprescindível (e isso só pode ser decidido pelo seu médico), mas há outras que podem ser amenizadas ou mesmo evitadas quando a alimentação é controlada e de boa qualidade, pois estaremos oferecendo ao nosso organismo um ambiente favorável e saudável, independente da predisposição genética. Os alimentos podem ser seguramente os nossos medicamentos – procure um profissional especializado, relate seus problemas e ele irá ajuda-lo a montar um programa de alimentação mais saudável, que irá substituir comprimidos por uma gama rica e colorida de nutrientes!!




Alterar a rotina alimentar evitando abusos com sal, açúcar, gorduras de origem animal são alguns dos procedimentos que podem libertá-lo de sua necessidade de ingerir medicamentos. Exercitar-se regularmente, tomar água, consumir produtos ricos em fibras e antioxidantes são alguns dos exemplos que colaboram para a redução do uso de fármacos.

E sempre que você precisar ir à farmácia pense com carinho nessa proposta – frequente muito mais a feira e vá menos à farmácia!

Fonte: Revista Novos Rumos Ciência & Saúde nº 206






Comentários:



Todos os comentários são moderados, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Não serão aceitas mensagens com links externos ao site, em letras maiúsculas, que ultrapassem 1 mil caracteres, com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Não há, contudo, moderação ideológica. A ideia é promover o debate mais livre possível, dentro de um patamar mínimo de bom senso e civilidade. Obrigado.

Código do Artigo: SM0512151




+ ARTIGOS DRA. SANDRA MARENCO














Todos os direitos reservados ao Portal Novos Rumos - © Copyright 2015 - Desenvolvido por WDNR