Jehová, Lúcifer e Cristo


Existe homem luciférico e existe o homem edênico. O homem luciférico derrama seu sêmem. O homem edênico nunca derrama seu sêmem. A atual humanidade é luciférica. A antiga humanidade das raças polar, hiperbórea e lemuriana, foi edênica. O estado edênico é um estado de consciência.



O estado luciférico é outro estado de consciência. Um homem do Éden pode ter corpo de carne e osso como qualquer homem. Um homem luciférico tem corpo de carne e osso como qualquer homem.

O Éden é o plano etérico. Quando o homem saiu do Éden, sua consciência submergiu em certos estados atômicos ou regiões luciféricas. Afundou a alma humana em seus próprios infernos atômicos e perdeu seus poderes. Essa foi a saída do Éden. O homem edênico assim morreu e nasceu o homem luciférico. Por isso, o Senhor Jehová disse: “De todas as árvores do jardim podereis comer, menos da árvore da ciência do bem e do mal, porque o dia que dela comerdes, morrereis”.

Nos gigantescos pátios dos templos da antiga Lemúria, os homens e mulheres uniam-se sexualmente para criar. O ato sexual era dirigido pelos Elohim. O homem e a mulher retiravam-se antes do espasmo para evitar a ejaculação seminal.

Os Elohim utilizavam apenas um espermatozoide e um gameta para criar. Um espermatozoide é tão infinitesimal, tão microscópico, que facilmente escapa de nossas glândulas sexuais, sem necessidade de haver derramamento do sêmen. Assim, se reproduz o homem edênico.

Assim, nascem os filhos da Imaculada Conceição. Esta é a Imaculada Concepção. Lúcifer tentou o homem e o homem caiu na tentação. Lúcifer é um mago negro de túnica cor de sangue. Ele cobre sua cabeça com um capacete vermelho, como os bonzos e os dugpas do Tibete oriental. As forças luxuriosas dos lucíferes despertaram no homem a paixão animal, então os homens começaram a ejacular o seu sêmem. As tribos da Lemúria foram expulsas dos templos por este motivo.

O Kundalini que antes se levantava vitorioso no canal medular baixou até o osso do cóccix e ficou encerrado no chacra Muladhara. Apagou-se a lâmpada do templo e o homem afundou em profundas trevas. Morreu o homem edênico e nasceu o homem luciférico. Quando o homem comeu do fruto proibido disse o Senhor Jehová: “Eis aqui que se fez um de nós, conhecendo o bem e o mal”.

Se o homem não tivesse comido o fruto da árvore do conhecimento, teria alcançado o estado angélico, porém em perfeita inocência. No Éden, nós éramos com relação ao Senhor Jehová o que os dedos das mãos são com respeito ao cérebro. Lúcifer deu-nos independência.

O fruto proibido fez-nos conscientes da ciência do bem e do mal. Esta ciência é muito profunda. Existe o bom do mau e existe o mau do bom. Em todo o bom há algo de ruim e em todo o mau há algo de bom. Entre o incenso da oração também se esconde o delito. Há muita virtude nos malvados e há muita maldade nos virtuosos.

Aquele que conhece o bom do mau e o mau do bom recebe a terrível espada da Justiça Cósmica. Os Anjos conhecem a ciência do bem e do mal. Os Anjos são homens perfeitos. Os Anjos também saíram do Éden, porém retornaram ao Éden, por isso são Anjos. Eles foram homens como nós. Saímos do Éden, porém conhecemos o bem e o mal. Nós saímos do Éden, porém adquirimos auto-independência.

Jehová o governador do Éden disse: “De todas as árvores do jardim podereis comer, menos da árvore da ciência do bem e do mal, porque o dia que dela comerdes, morrereis”.

Lúcifer disse à mulher: “Não morrereis, mas Deus sabe que no dia que comerdes dela, vosso olhos serão abertos e sereis como Deus, sabendo o Bem e o mal”.

Quando o homem comeu do fruto proibido, disse Jehová: “Eis aqui o homem é como um de Nós, sabendo o bem e o mal”. Assim, adquirimos sabedoria e assim conseguimos auto-independência. Assim, fizemo-nos conscientes da ciência do bem e do mal.

Agora, devemos voltar ao Éden para ser como Deuses, conhecendo a ciência do bem e do mal. Devemos voltar ao Éden para sermos Deuses. Temos que entrar no Éden pela mesma porta por onde saímos. Saímos do Éden pela porta do sexo e só por essa porta poderemos voltar ao Éden.

O Éden é o próprio sexo. Se queremos entrar no Éden, temos que voltar ao velho sistema sexual do Éden. Temos que entrar pela porta do sexo porque por essa porta saímos e não existe outra para entrar lá, assim como não existe outra porta para sair de lá. Por onde saímos, temos que entrar. Essa é a lei. O homem afundou nos infernos atômicos da natureza, quando saiu do Éden.

Se não fosse pelo Cristo, teria sido muito difícil para nós sair do abismo. Felizmente, foi enviado um salvador. Esse salvador foi Cristo. Agora, temos que encarnar o Cristo em nós para voltar ao Pai. Ninguém chega ao Pai a não ser pelo Filho.

Somente com o sangue redentor podemos lavar nossas vestimentas, vestirmo-nos com brancas roupas para entrar no Éden, exatamente pela mesma porta por onde saímos. À suprema desobediência de Adão, opôs-se a suprema obediência de Cristo.

Jehová deu-nos seus mandamentos. Lúcifer deu-nos auto-independência individual. Cristo redime-nos do pecado. Assim, levantam-se os Deuses desde o barro da terra.

Fonte: Samael Aun Weor


Acompanhe Portal Novos Rumos no Twitter e no Facebook.






Comentários:



Todos os comentários são moderados, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores.

Código da Notícia: NE1701201