Portal Novos Rumos




“Famiglia” Bolsonaro comemora em vídeo vitória do fascismo


"Num vídeo divulgado no mesmo dia em que Jair Bolsonaro, o capo da 'famiglia', anunciou a liberação da posse de armas, a três dias da posse, um dos seus filhos postou um vídeo sobre a 'trajetória política' do papi para comemorar o desatino", escreve Ricardo Melo, do Jornalistas pela Democracia, sobre o vídeo que ele define como "estarrecedor"; para ele, "nunca foi tão fácil encontrar provas de que o Brasil entra, a partir de primeiro de janeiro, num dos períodos mais sombrios de sua história"

Por Ricardo Melo, para o Jornalistas pela Democracia



Nada mais parece surpreender. Nada mais. Mas que espanta, ainda espanta.

Num vídeo divulgado no mesmo dia em que Jair Bolsonaro, o capo da "famiglia", anunciou a liberação da posse de armas, a três dias da posse, um dos seus filhos postou um vídeo sobre a "trajetória política" do papi para comemorar o desatino.

Estarrecedor. Tal qual aquelas retrospectivas de melhores momentos, a peça reproduz flashes em que o capitão vitupera contra tudo que se assemelhe a direitos humanos, liberdade de costumes, civilização. O linguajar é típico dos gorilas homicidas. Tem que matar não sei quantos, polícia não está aí para afagar bandidos, preso precisa de porrada e não de educação, parlamentares maricas, palavrões a torto e a direito e pérolas de vulgaridade máxima: "quem quiser queimar a rosca, que queime, mas não fiquem pregando isso", em reprodução não literal.

Há, na mídia gorda, quem diz procurar provas de que o Brasil entra, a partir de primeiro de janeiro, num dos períodos mais sombrios de sua história. Nunca foi tão fácil encontrá-las. Quem as oferece é a própria "famiglia", com seus Queiroz, nomeações fundamentalistas, militarização inédita da esplanada dos ministérios. O responsável pela relação com os políticos é um general, com todo o jogo de cintura que se pode de esperar de um militar tratando com políticos.

Estamos todos prestes a entrar num regime de caserna. O vai e vem de Temer quanto ao indulto humilha os brasileiros. Pela primeira vez desde a Constituição de 1988, o benefício não será concedido, para festejo do PCC, Comando Vermelho, Ada e outras facções criminosas. Brasileiros encarcerados por furtar uma coxa de frango continuarão convivendo com homicidas, sequestradores e estupradores. Para sobreviver e resguardar suas famílias, não têm opção: ou aderem ao crime organizado ou são marcados para morrer.

Os ministros do Supremo Tribunal Federal fingem não se dar conta da gravidade desta omissão. Agem como se nada tivessem a ver com isso.

Refestelados em seus gabinetes refrigerados, enfeitados com perucas, engomados com gel capilar, encrencados com a promiscuidade entre seus negócios privados e a função pública, os integrantes da tal Corte pouco se lixam diante dos esbulhos cometidos contra a Constituição. Deixam Lula na cadeia, enquanto Temer, Aécio, Kassab e outros circulam livres, leves e soltos. Enquanto isso, os números de emprego mostram que o país caminha de forma acelerada para virar um território de bóias frias sem direitos, salvaguardas ou futuro.

A esse respeito, impossível ressaltar o detalhe. Nomeado para cargo-chave do indescritível João Dória no governo de São Paulo, o atual ministro Gilberto Kassab assume... pedindo licença para se defender da montanha de acusações de roubo de dinheiro em eleições. Alguém já viu isso? Para a mídia gorda, fica tudo por isso mesmo.

O Brasil está a caminho de uma guerra civil.

Fonte: Brasil 247


Acompanhe Portal Novos Rumos no Twitter

e no Facebook.






Comentários:



Todos os comentários são moderados, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Não serão aceitas mensagens com links externos ao site, em letras maiúsculas, que ultrapassem 1 mil caracteres, com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Não há, contudo, moderação ideológica. A ideia é promover o debate mais livre possível, dentro de um patamar mínimo de bom senso e civilidade. Obrigado.

Código da Notícia: PNR3112182